Aspirantes

  Dom Bosco disse: "O que somos é presente de Deus; no que nos transformamos é o nosso presente a Ele"

11 de out de 2011

Dom Bosco: AS MISSÕES SALESIANAS DE 1910 A 1965

Entre 1910 e 1965, a atividade missionária salesiana se desenvolveu nas missões a eles confiadas diretamente pela Santa Sé (prefeituras e vicariatos apostólicos, prelazias nullius e também dioceses dependentes da Sagrada Congregação da Propagação da Fé), seja em terras longínquas, tradicionalmente chamadas terras de missões até o Concílio Vaticano II.[1] Prova disso são as numerosas expedições missionárias que se sucederam neste período.[2] Somente durante as duas guerras mundiais houve um eclipse bem compreensível. As forças despendidas pela Sociedade Salesiana nas missões aumentaram de tal modo que ela tornou-se a segunda Congregação missionária da Igreja. Também o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora realizou, ao mesmo tempo, um esforço impressionante. Nas duas congregações, o recrutamento, inicialmente só italiano, tornou-se sempre mais internacional.[3]

Entretanto, o ideal missionário se orientava em direção a novas terras para serem evangelizadas. O extremo sul do continente americano, de fato, com a diminuição rápida dos Índios e a chegada de novos imigrantes, perdia pouco a pouco a própria atrativa missionária. A Patagônia e a Terra do Fogo deixavam, também, de ser regiões “missionárias” para tornarem-se totalmente dioceses argentinas e chilenas: Viedma em 1934, Punta Arenas em 1947 e Rio Galegos em 1961. De agora em diante, o ideal apostólico da Família salesiana dirigia-se para novos horizontes na América, na África e no Oriente.


[1] Para uma visão geral das missões salesianas, cf. E. VALENTNI, Le missioni salesiane d’oggi, CSSMS, Roma, LAS 1976; ID., Bibliografia generale delle Missioni salesiane, CSSMS, Roma, LAS 1975; ID., Profili di Missionari Salesiani e Figlie di Maria Ausiliatrice, CSSMS Biografie 1, Roma LAS 1975. Para os aspectos históricos, pastorais, culturais e científicos das missões salesianas, cf. P. SCOTTI (Ed.), Missioni salesiane 1875-1975. Studi di occasione del Centenario, CSSMS Studi e ricerche 3, Roma, LAS 1977. Para os aspectos jurídicos e administrativos das missões, veja A. MARTÍN GONZÁLEZ, La actividad misionera salesiana en la Iglesia. Presupuestos y antecedentes histórico-jurídicos y administrativos, CSSMS Estudos e pesquisas 7, Roma / Madrid, Universidad Pontificia Salesiana / Central Catequística Salesiana 1977.

[2] Veja mais adiante o apêndice 8.

[3] Calculou-se, por exemplo, que já durante o reitorado do padre Rua partiram cerca de 150 missionários salesianos de nacionalidade polonesa. Cf. M CHMIELEWSKI, I salesiani missionari della Polonia. Genesi, ruolo e fisionomia dell’attivita svolta (1889-1910), tese discutida na sede do Instituto de Espiritualidade da Faculdade de Teologia da Universidade Pontifícia Salesiana, Roma, no ano acadêmico de 1995-1996.

fonte: Livro Morand Wirth - CAPITULO XXVI


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...