Aspirantes

  Dom Bosco disse: "O que somos é presente de Deus; no que nos transformamos é o nosso presente a Ele"

7 de set de 2010

Zeferino Namucurá (Festa:26/8)

Zeferino Namuncurá nasceu no dia 26 de agosto de 1886 em Chimpay, às margens do rio Negro, Argentina. Três anos antes, Manuel, seu pai, último grande cacique das tribos de índios Araucanos, tinha sido obrigado a se entregar às tropas federais.

Após onze anos de vida livre e agreste, Manuel Namuncurá man­dou Zeferino estudar em Buenos Aires, para que no futuro pudesse defender sua raça. O clima de família que se respirava no colégio salesiano fez que ele se encantasse com Dom Bosco. Cresceu nele a dimensão espiritual e começou a desejar ser salesiano sacerdote para evangelizar seu povo.

Escolheu Domingos Sávio como modelo e, durante cinco anos, fez um esforço extraordinário para inserir-se numa cultura total­mente nova. Ele mesmo foi outro Domingos Sávio. Exemplar era seu empenho na piedade, na caridade, nos deveres de cada dia, no exercício ascético.

Esse rapaz, que tinha dificuldade em "pôr-se na fila" ou em "obedecer ao sino", tornou-se pouco a pouco um verdadeiro mode­lo. Como queria Dom Bosco, era perfeito no cumprimento dos seus deveres de estudo e de oração. Nos divertimentos, os colegas o que­riam como árbitro: sua palavra tirava qualquer dúvida e encerra­va qualquer discussão.

Impressionava a calma com que fazia o sinal-da-cruz, como se estivesse meditando palavra por palavra; com seu exemplo, corrigia os colegas, ensinando-lhes a fazê-Ia com calma e devoção.

Em 1903 (Zeferino estava com 16 anos e meio, seu pai foi batizado aos 80), D. João Cagliero o aceitou no grupo dos aspirantes em Vied­ma, centro do Vicariato apostólico, para começar a estudar latim. Por causa de sua saúde frágil, o bispo salesiano decidiu levá-Ia à Itália para prosseguir os estudos de modo mais sólido e num clima que lhe parecia ser mais conveniente.

Na Itália, encontrou Pe. Miguel Rua e o Papa Pio X, que o aben­çoou comovido. Freqüentou a escola em Turim e, em seguida, o colé­gio salesiano de Villa Sara, em Frascati. Estudou com tanto afinco que se tornou o segundo da classe.

A tuberculose, porém, minava sua saúde. No dia 28 de março de 1905 foi levado para o Hospital Fatebenefratelli da Ilha Tiberina, em Roma, onde morreu serenamente no dia 11 de maio do mesmo ano. Desde 1924, seus restos mortais repousam em sua pátria, em Fortín Mercedes, onde multidões de peregrinos acorrem para venerá-Ia.


JOÃO PAULO II DECLAROU-O VENERÁVEL EM 22 DE JUNHO110 DE 1972

BENTO XVI BEATIFICOU-O EM 11 DE NOVEMBRO DE 2007.

FONTE: www.salesianos.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...