Aspirantes

  Dom Bosco disse: "O que somos é presente de Deus; no que nos transformamos é o nosso presente a Ele"

7 de set de 2010

Capítulo 2: Articulação da Juventude Salesiana

Dom Bosco e Maria Mazzarello deixaram como missão para seus seguidores trabalhar pela educação e evangelização da juventude, sobretudo aquela que se encontra em maior situação de perigo.

Para Dom Bosco, cada obra deveria ser casa que acolhe, escola que educa, paróquia que evangeliza e pátio onde todos se encontram como amigos.

Na fidelidade à tradição de amor e predileção de Dom Bosco e Madre Mazzarello aos jovens, em 1998 nasceu no Brasil a Articulação da Juventude Salesiana (AJS), durante o 2º Congresso Nacional de Lideranças Juvenis Salesianas. O termo “articulação” indica a concepção que sustenta e orienta a AJS, diferenciando-a dos movimentos juvenis “tradicionais”.

A AJS é fruto da vivência da tradição salesiana e da resposta atenta aos sinais dos tempos.

Presentes no Brasil há mais de 100 anos, os Salesianos de Dom Bosco e as Filhas de Maria Auxiliadora se organizam em Inspetorias (15 ao todo), com uma grande variedade de obras a serviço da juventude.

Vivendo os sinais dos tempos, em nossas presenças estão inúmeras experiências de grupos juvenis. Vários deles atuavam de maneira independente, isolada, dispersando forças, e muitas vezes sem apoio ou acompanhamento por parte dos salesianos e das irmãs. Por outro lado, o modelo de PJ nas obras não conseguia envolver a pluralidade de grupos existentes.

O que é AJS

AJS é uma rede de apoio mútuo e articulação entre os variados grupos de jovens, que se identificam com a espiritualidade juvenil salesiana e querem vivê-la. É um trabalho conjunto entre os Salesianos de Dom Bosco, Filhas de Maria Auxiliadora, toda a Família Salesiana e a juventude.

Características

· Articulação de grupos autônomos, que têm organização, metodologia e objetivos próprios.

· Está em sintonia com as orientações da PJ da Igreja do Brasil e se insere nas iniciativas da PJ local.

· Tem como inspiração sustentadora os valores e crenças da espiritualidade juvenil salesiana.

· Possui uma estrutura de organização que busca combinar a animação orgânica (em nível nacional, regional e local) com a autonomia de cada grupo.

Organização

A estrutura de organização da AJS pode variar de ambiente para ambiente, de situação para situação, porque é fundamental respeitar as diferenças e peculiaridades de cada realidade. Atualmente a AJS está organizada da seguinte maneira:

· Coordenação local (de obra ou presença). Formada por representantes dos grupos existentes em uma determinada obra ou presença. Sua função é animar e articular esses grupos.

· Coordenação regional. Como as áreas geográficas de cada inspetoria são normalmente muito extensas, são necessárias coordenações regionais, formadas por representantes de coordenações locais. Em geral, essas coordenações são interinspetoriais.

· Coordenação inspetorial/interinspetorial. Formada por representantes das diversas regiões da inspetoria, sendo em alguns lugares também interinspetorial.

· Coordenação Nacional da Pastoral Juvenil Salesiana. Composta por um salesiano e uma irmã de cada inspetoria, formam uma equipe nacional responsável pela animação da AJS em suas respectivas inspetorias, procurando refletir sobre ela em nível nacional e cuidar das ações em rede.

· Assessor. Não é membro do grupo, não está ligado a nenhum grupo, mas tem importância fundamental na vida dos grupos.

· Calendário de atividades. A agenda de atividades deve ser flexível, adaptada à realidade de cada grupo e região. Mas é importante haver eventos comuns, desde que essa agenda comum não atropele ou sufoque as iniciativas e atividades dos grupos.

O que se quer proporcionar

· Experiência dos valores da espiritualidade salesiana, conhecimento de Dom Bosco e de Maria Mazzarello, vivência das crenças e valores salesianos.

· Processo de crescimento humano e de formação da fé cristã com caráter educativo e missionário.

· Itinerário de formação desenvolvido dentro do grupo.

· Vivência das relações interpessoais e intergrupais, valorizando a diversidade e a identidade de cada um.

· Desenvolvimento de um processo organizativo pautado na participação e envolvimento dos jovens, leigos adultos e de toda a Família Salesiana.

· Desenvolvimento das potencialidades pessoais, convicções e valores.

· Oportunidade de inserção do jovem como membro ativo e atuante em seu ambiente, engajando-se em ações sociais, religiosas, de cidadania, dedicando parte de seu tempo à vivência de um ideal em favor do bem comum.

Onde acontece a AJS

A AJS promove a articulação de grupos, e não diretamente de pessoas. Não existe lugar específico para os grupos surgirem, serem dinamizados, acompanhados: dentro e fora de ambientes salesianos, e inclusive em locais onde não há presença salesiana direta.

Embora professe a fé cristã, a AJS está aberta a pessoas de outras confissões religiosas, valorizando o diálogo ecumênico e o enriquecimento mútuo.

A condição básica para um grupo pertencer à AJS é identificar-se com a espiritualidade juvenil salesiana, ter vivo estes cinco critérios:

· Nasci para ser feliz. Amo a vida, valorizo-a e cuido dela.

· Tenho um amigo, Jesus Cristo, filho de Maria. Ele é a minha referência.

· Tenho uma família, a Igreja, comunidade que partilha a fé, a esperança e o amor;

· Tenho um tesouro, a Eucaristia e a Reconciliação, sinais visíveis do amor de Deus por nós.

· Tenho um futuro. Eu vim para servir, “porque o Senhor nos colocou no mundo para os outros” (Dom Bosco).

Conseqüências práticas

· Estar atentos e comungamos com aquilo que a Igreja do Brasil orienta a respeito dos jovens.

· Propor grupos que atendam às necessidades dos diversos níveis de idade. Os grupos espontâneos podem ser envolvidos a partir de suas necessidades peculiares.

· Apesar de não haver um único itinerário formativo, os processos devem conter programas gradativos e continuados.

· Formar e qualificar continuamente os coordenadores de grupos e assessores da AJS.

· Cuidar particularmente dos grupos num processo formativo mais avançado, pois os jovens desses grupos manifestam interesses que vão além dos gostos pessoais e da satisfação imediata; estão imersos num processo formativo explícito e requerem acompanhamento especial.

· Filhas de Maria Auxiliadora e salesianos, responsáveis primeiros pela formação e qualificação dos jovens, devem estar também dentro de um processo permanente de formação e qualificação.

· Promover a circulação de material (subsídios, reflexões, informativos etc.) em todos os níveis (local, regional, inspetorial e interinspetorial) como possibilidade de troca de experiência e de formação conjunta, fortalecendo a articulação em rede.

FONTE: www.salesianos.com.br

Um comentário:

  1. Ola!
    Fiquei feliz em saber que existe um blog totalmente católico/salesiano! Parabéns! Precisamos espalhar o carisma salesiano onde os jovens estão e assim realizar a salvação das almas! ;)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...